Utilize o teclado para navegar, com Ctrl + nº da tecla

  Ctrl + 1 (menu)   Ctrl + 2 (conteúdo)   Ctrl+ 3 (busca)   Ctrl + 4 (mapa)   Ctrl + 0 (acessibilidade)
  Fonte Maior   Fonte Menor   Fonte Padrão
Original
  Contraste
Prefeitura Municipal de ARARICÁ/RS
menu
×
Institucional

História


O início da Colonização

As terras que hoje são o município de Araricá faziam parte da Fazenda Padre Eterno, nome dado à região pelos portugueses, desde 1777. Compreendia a área de terras entre o arroio Grande (leste) e das Pedras, hoje arroio Schmitt, em Campo Bom (oeste), entre a escarpa da planalto (norte) e o rio dos Sinos (sul). Era uma grande sesmaria que foi alvo de disputa de posseiros durante anos. Em julho de 1842, Johann Peter Schmitt adquire as terras da Fazenda Padre Eterno, em um leilão. Inicia a venda dos lotes. O lado leste, onde situa-se hoje Araricá, continuava desocupado e sem documentação. Na encosta do Ferrabraz, entre 1845 e 1860, são vendidos os primeiros lotes para parentes e compadres de Johann Peter Schmidt. É aí que inicia a colonização de Araricá, pelas famílias de Henrique kautzmann, Nikolaus Schmidt, Pedro Loth, Germano Siebel, Jacob Baum, Jacob Rech e a família Holzbach. Mais tarde chegam as famílias de Wilhelm Bloss, Peter Rech, Peter Schmidt, Peter Schardong, Jacob Dreyer, Carlos Felte, Peter Henrich Kautzmann, Johann Weiss, Maria Kirsch, Miguel Kirsch e a família Achenbach. Em 1868, Johann Peter Schmidt morre e, então, Francisco Pedro de Abreu, o Barão do Jacuhy requer as terras devolutas restantes mais ao leste. Inicia-se a ocupação central e leste da localidade, com ruas planejadas e lotes definidos.

 

Festa do Boi Carreiro

A Festa do Boi Carreiro ocorre anualmente, desde 2006. O evento é uma forma de comemorar o dia do colono, valorizando a agricultura da localidade e o trabalho dos agricultores. Historicamente, desde a colonização de Araricá, o meio de transporte utilizado pelos colonos era a carroça, principalmente, para levar os produtos da zona rural (milho, farinha de mandioca, feijão, tarros de leite, entre outros) até a estação do trem, a fim de serem comercializados. A festa inicia com desfile das juntas de bois, seguida de missa crioula e apresentações artísticas. Ao meio-dia é servido o "costelão" assado na vala. Há também a caça ao porco na lama e a Feira do Produtor. A cada ano o evento tem atraído um número maior de visitantes.



Portal da Transparência

Consulte informações sobre as despesas e receitas do município em tempo real.

Ouvidoria

Deseja realizar uma manifestação para a administração municipal? Utilize o canal oficial.

Legislação Municipal

Acesso atualizado a todas as leis, decretos, portarias e resoluções do município.


topo